Prevalência de dor lombar na equipe de enfermagem de um hospital estadual / Prevalence of low back pain in the nursing staff of a state hospital

Francisco das Chagas Araújo Sousa, Nara Karina Sales de Oliveira, Wenderson Costa da Silva, Flavio Ribeiro Alves, Renan Paraguassu de Sá Rodrigues, Andrezza Braga Soares da Silva, Laecio da Silva Moura, Jefferson Rodrigues Araújo, Elzivania Gomes da Silva, Anaemilia das Neves Diniz, Maria Lara Rodrigues de França, Letícia Rodrigues de França, Kelvin Ramon da Silva Leitão

Abstract


As Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), são síndromes que atingem o sistema músculo esquelético, desencadeadas pelo esgotamento físico das estruturas anatômicas do sistema osteomuscular. O objeto deste estudo foi identificar o perfil das lesões músculo esqueléticas ocasionadas durante o trabalho da enfermagem. Trata-se de um estudo descritivo, exploratória, com abordagem quantitativa, realizado por meio de um Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares (QNSO). A coleta de dados ocorreu em um Hospital Estadual da cidade de Luzilândia- Piauí, com 21 profissionais da equipe de Enfermagem. Quanto aos resultados o perfil sociodemográfico dos entrevistados se caracterizou por profissionais jovens, com média de idade de 33,14 anos, do sexo feminino (90,5%), solteiros (61,9%), de cor parda (81%), com ensino médio completo (71,4%), técnicos de enfermagem (71,4%), com renda mensal que de um a três salários mínimo (95,2%). Sobressaíram os profissionais que não praticavam atividade física, nenhum deles fumam, porém a maioria ingeri bebida alcoólica e café regularmente. O estudo identificou elevada prevalência de LER/DORT em trabalhadores de enfermagem, pois 62% referiram algum sintoma nos últimos doses meses. Esses sintomas representaram frequência e intensidade de dor moderada, principalmente em pessoas de 23 a 29 anos (46,1%), do sexo feminino (92,3%) e técnicos de enfermagem (77%), havendo correlação entre essas variáveis. A dor foi mais prevalente na região lombar, em especial naqueles que trabalha em pé, quando inclinar o tronco, da repetitividade das mãos/dedos, precisão com os dedos, aplicar força com as mãos ou dedos, manipular cargas entre 1-4 kg, manipular cargas superiores a 4 KG, levantar e deslocar cargas entre 10- 20 KG, levantar e deslocar cargas superior a 20 KG e a intensidade da dor a maioria respondeu que muito se relaciona com a intensidade da dor e de forma moderada. Diante do levantamento deste estudo foi possível alcançar o objetivo proposto e identificar alta prevalência do LER/DORT, em especial em profissionais de 23 a 29 anos, técnicos de enfermagem e mulheres, com maior destaque para a região lombar e de moderada intensidade de três a quatro vezes na semana.


Keywords


Transtornos Traumáticos Cumulativos; Saúde do Trabalhador; Enfermagem.

References


ATTAR, S. M. Frequency and risk factors of musculoeskeletal pain in nurses at a tertiary centre in Jeddah, Saudi Arabia: a cross sectional study. BMC Res Notes. Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 12-21, mai. 2014. Disponível em:< https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24460669>. Acesso em: 04 dez. 2019.

BARBOSA, R. E. C.; ASSUNÇÃO, A. A.; ARAÚJO, T. M. Distúrbios musculoesqueléticos em trabalhadores do setor saúde de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública. São Paulo, v. 28, n. 8, p. 1569-580, set. 2012. Disponível em:. Acesso em: 04 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Dor relacionada ao trabalho. Brasília; 2012. Disponível em: Acesso em: 17 abr. 2019.

CARVALHO, G. M. Enfermagem do Trabalho. 2ª edição, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

CORTEZ, L. S.; RAFAEL, R. M. R. Prevalência de sintomas osteomusculares e fatores associados em trabalhadores de Enfermagem. Ver. Pesq.: Cuid. Fundam. Online, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 1806-1810, abr./jun. 2011. Disponível em:< http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/925/pdf_377>. Acesso em: 09 dez. 2019.

FONSECA, N. R. da. Distúrbios músculo-esqueléticos em trabalhadoras de enfermagem. 2009. Dissertação (Mestrado em Saúde, Ambiente e Trabalho)- Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

FREITAS, J. R. S. et al. Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em profissionais de enfermagem de um hospital universitário. Ver. Eletr. Enf., São Paulo, v. 11, n. 4, p. 904-911, 2009. Disponível em:< https://www.fen.ufg.br/revista/v11/n4/pdf/v11n4a16.pdf>. Acesso em: 09 dez. 2019.

GÓES, E. P. Avaliação da prevalência de sintomas osteomusculares e fatores associados em trabalhadores de enfermagem de um hospital público do oeste do Paraná. Faz Ciênc. São Paulo, v. 16, n. 24, p. 129-48, set. 2014. Disponível em:< http://e-revista.unioeste.br/index.php/fazciencia/article/view/11402/9723>. Acesso em: 04 dez. 2019.

LELIS, C. M. et al. Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em profissionais de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Acta Paul Enferm. São Paulo, v. 25, n. 3, p. 477-82, set. 2012. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/ape/v25n3/v25n3a25.pdf>. Acesso em: 08 dez. 2019.

LIZIER, D. T. et al. Exercícios para tratamento de lombalgia inespecífica. Ver. Bras. Anestesiol, São Paulo, v. 62, n. 6, p. 838-46, nov-dez, 2012. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/rba/v62n6/v62n6a08.pdf>. Acesso em: 8 mai. 2019.

MAGNAGO, T. S. B. S. et al. Condições de trabalho, características sociodemográficas e distúrbios musculoesqueléticos em trabalhadores de enfermagem. Acta. Paul. Enferm. São Paulo, v. 23, n. 2, p. 187-193, 2010. Disponível em:. Acesso em: 09 dez. 2019.

MAIA, F. E. S. et al. Perspectivas terapêuticas da fisioterapia em relação a dor lombar. Rev. Fac. Cienc. Med. Sorocaba,v. 17,n. 4,p.179-84, mai. 2015. Disponível em:< https://revistas.pucsp.br/RFCMS/article/view/18663>. Acesso em: 10 dez. 2019.

MARTINS, A. C. Sintomas Osteomusculares Relacionados ao trabalho de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. Dissertação de Mestrado. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2011.

MONTEIRO, C. R.; FARO, A. C. M. Sintomas osteomusculares em trabalhadores de enfermagem de uma unidade neonatal, UTI neonatal e banco de leite humano. Rev Bras Med Trab. São Paulo, v. 13, n. 2, p. 83-90, mai. 2015. Disponível em:< file:///D:/user/Downloads/v13n2a05.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2019.

PACHECO, E. S. et al. Prevalência dos sintomas osteomusculares relacionados ao trabalho de enfermagem no âmbito hospitalar. Rev. Enferm UFPI. Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, p. 31-7, out-dez. 2016. Disponível em:< file:///D:/user/Downloads/5387-20244-1-PB.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2019.

PINHEIRO, F. A.; TRÓCCOLI, B. T.; CARVALHO, C. V. Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Ver. Saúde Públ. São Paulo, v. 36, n. 3, p. 307-12, set. 2002. Disponível em: Acesso em: 15 abr. 2019.

PIVETTA, A. D. et al. Prevalência de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em fisioterapeutas. Ver. Digital, Rio Grande do Sul, ano 10, n. 80, jan. 2015. Disponível em:. Acesso em: 09 dez. 2019

ROSA, L. A. M. et al. Ergonomia: mobiliário adequado não é suficiente para evitar agravos ocupacionais. Revista Proteção, Novo Hamburgo, v. 216, n. 1, p. 60-64, 2009. Disponível em:. Acesso em: 10 dez. 2019.

SERRANHEIRA, F.; SOUSA UVA, M.; SOUSA UVA, A. Lombalgias e trabalho hospitalar em enfermeiros. Rev. Bras. Med. Trab. Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 80-7, set. 2012. Disponível em:. Acesso em: 10 dez.

SILVA, L. A. et al. Enfermagem do trabalho e ergonomia: prevenção de agravos à saúde. Revista enfermagem. UERJ, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 317-23, abr./jun. 2011. Disponível em: Acesso em: 14 maio de 2019.

SILVA, R. F. et al. Presença de distúrbios osteomusculares em enfermeiros de Unidades de Pronto Atendimento. Rev. Enferm. Atenção Saúde. Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 2-11, jul/dez. 2017. Disponível em:< http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2081/pdf>. Acesso em: 09 dez. 2019.

SOUZA, A. C. de. Sintomas osteomusculares, desempenho no trabalho e incapacidade em trabalhadores da enfermagem. 2011. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2011.

TINUBU, B. M. S. et al. Work – related musculoskeletal disorders among nurses in Abadan, South west Nigeria: a cross sectional survey. BMC Musculoskelet Disord. v. 11, n. 12, p. 12-21, set. 2010. Disponível em:. Acesso em: 10 dez. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-069

Refbacks

  • There are currently no refbacks.