Benefícios do cuidado fisioterapêutico em idosos com demência de Alzheimer: uma revisão integrativa / Benefits of physiotherapeutic care in elderly with Alzheimer's dementia: an integrative review

Sweltton Rodrigues Ramos da Silva, Adjancey de Oliveira Arnor, Márcia Camila Figueiredo Carneiro, Camille Pessoa de Alencar, Luciana Cruz de Souza, Jamily Abimael Martins Ferreira, Laura de Sousa Gomes Veloso, Maria Adelaide Silva Paredes Moreira

Abstract


Introdução: A Demência de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa, progressiva, de origem idiopática, que provoca alterações cognitivas e, posteriormente, compromete a realização das atividades básicas de vida diária. A intervenção fisioterapêutica atuará conforme a necessidade de cada paciente, conservando o paciente mais ativo e independente de acordo com as suas possibilidades. Objetivo: Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo analisar os benefícios do cuidado fisioterapêutico direcionado a idosos com Demência de Alzheimer apresentados pelas produções científicas atuais. Metodologia: Trata-se, portanto, de um estudo de revisão bibliográfica de abordagem integrativa. As buscas foram realizadas nas bases de dados SCIELO e LILACS. Resultados: Foram selecionados 10 artigos para análise e discussão dos resultados. Essa revisão permitiu identificar que com a realização da fisioterapia é possível conseguir melhora na locomoção e redução dos distúrbios neuropsiquiátricos na fase inicial da demência, melhora da ADM, força muscular, equilíbrio e prevenção do declínio da mobilidade na fase intermediária e prevenção de úlceras de decúbito na fase final. Conclusão: A atualização do conhecimento de profissionais da área de saúde, cuidadores e familiares, promove a construção de linhas de cuidado aos idosos com Demência de Alzheimer, de forma a controlar os agravos associados e possibilitar um envelhecimento digno e com qualidade.


Keywords


Demência de Alzheimer, Idoso, Fisioterapia, Tratamento.

References


AQUINO, R. G. F. et al. Abordagem fisioterapêutica no paciente portador da doença de Alzheimer: Revisão da literatura. Revista dos cursos de saúde da Faculdade Integrada do Ceará. Fortaleza, v. 1, n. 25, p. 40, Jan/Mar. 2013.

BASSANI, D. D. et al. Análise cinemática da marcha em pacientes portadores da Demência de Alzheimer. Revista Fisioterapia Brasil, São Paulo, vol. 18, n. 3, p. 310, 2017.

BIANCHETTI A.; TRABUCCHI, M. Alzheimer. 1. ed. São Paulo: Loyola, 2013.

D’ALENCAR, R. S. et al. Conhecendo a doença de Alzheimer uma contribuição para familiares e cuidadores. Ilhéus: Editus, 2010.

FAJERSZTAJN, L. et al. Effects of functional physical activity on the maintenance of motor function in Alzheimer’s disease. Dement. Neuropsychol. São Paulo, vol. 2, n. 3, p. 239, September 2008.

FELIPPE, L. A. et al. Funções executivas, atividades da vida diária e habilidade motora de idosos com doenças neurodegenerativas. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, vol. 63, n. 1, p. 46, 2014.

FERREIRA, B. N. et al. Dual Task Multimodal Physical Training in Alzheimer’s disease: Effect on Cognitive Functions and Muscle Strength. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, vol.19, n.5, p. 581, 2017.

FILHO, W. J; KIKUCHI, E. L. Geriatria e Gerontologia Básicas. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

FREITAS, E. V. et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

LEITE, M. T. et al. Doenças crônicas não transmissíveis em idosos: saberes e ações de agentes comunitários de saúde. Revisão de literatura. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, vol. 7, n. 2, p. 2264-2266, Abr./Jun. 2015.

LIMA, A. M. A. et al. O papel da fisioterapia no tratamento da Doença de Alzheimer: uma revisão de literatura. Boletim Informativo Unimotrisaude em Sociogerontologia, Amazonas, vol. 7, n. 1, p. 39, 2016.

MENDES, K. D. S et al. Revisão Integrativa: Método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem. Florianópolis, vol. 17, n. 4, p. 759-760, Out/Dez. 2008.

MENEZES, A. V. et al. Efetividade de uma intervenção fisioterapêutica cognitivo-motora em idosos institucionalizados com comprometimento cognitivo leve e demência leve. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, vol. 21, n. 11, p. 3465, 2016.

MIRANDA, G. M. D. et al. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro, vol. 19, n. 3, p. 508, May/June 2016.

MORAES E. N. et al. Características Biológicas e psicológicas do envelhecimento. Revisão de literatura. Revista Medica de Minas Gerais, vol. 20, n. 1, p. 68-69, 2010.

MOSCONI, L. et al. Perimenopause and emergence of na Alzheimer's bioenergetic phenotype in brain and periphery. Revista PLOS ONE, California, vol. 10, n.12, p. 2, October 10, 2017.

NASCIMENTO, C. M. C. et al. A Controlled Clinical trial on the effects of exercise on neuropsychiatric disorders and instrumental activities in Women with Alzheimer’s disease. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, vol. 16, n. 3, p. 203, 2012.

ORCIOLI-SILVA, D. et al. A program of physical activity improves gait impairment in people with Alzheimer’s disease. Motriz, Rio Claro, v. 24, n. 1, p. 5, 2018.

PEDROSO, R. V. et al. Los predictores motores de la deficiência de las funciones ejecutivas em pacientes con Enfermedad de Alzheimer. Universitas Psychologica, Colômbia, vol. 15, n. 5, p.7, 2016.

PEDROSO, R. V. et al. Cognitive, functional and physical activity impairment in elderly with Alzheimer’s disease. Dement. Neuropsychol. São Paulo, vol. 12, n. 1, p. 30, March, 2018.

PEREIRA, R. A. et al. O processo de transição epidemiológica no Brasil: uma revisão de literatura. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes, vol. 6, n. 1, p. 99, 2015.

PIVETTA, M. Na raiz do Alzheimer. Revista Pesquisa FAPESP, São Paulo, n. 153, p. 17-21, 2008.

PNAD 2014: População desocupada cresce, mas tendência de redução da desigualdade se mantém. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/9638-pnad-2014-populacao-desocupada-cresce-mas-tendencia-de-reducao-da-desigualdade-se-mantem, Acesso em: 27 abr. 2018.

RAMOS, D. A; RUAS, E. A. Doença de Alzheimer: Revisão de Literatura. Revista F@pciência. Apucarana, v. 11, n. 7, p. 49, 2017.

SACCHELLI, T. et al. Fisioterapia Aquática. 1. ed. São Paulo: Manole, 2008.

SARAIVA, L. B. et al. Avaliação Geriátrica Ampla e sua Utilização no Cuidado de Enfermagem a Pessoas Idosas. Journal of Health Sciences, vol. 19, n. 4, p. 262, 2017.

TEIXEIRA, J. B. et al. Doença de Alzheimer: estudo da mortalidade no Brasil, 2000-2009. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, vol. 31, n. 4, p. 2, Abr. 2015.

UNDESA. Population division, World population prospescts: the 2015 revision, DVD Edition. Disponível em: https://www.un.org/development/desa/publications/world-population-prospects-2015-revision.html. Acesso em: 27 abr. 2018.

ZAIONS J. D. C. et al. A influência da fisioterapia na preservação da memória e capacidade funcional de idosos portadores da Demência de Alzheimer. PERSPECTIVA, Erechim, v. 36, n. 133, p. 159, Mar. 2012.

ZIDAN, M. et al. Alterações motoras e funcionais em diferentes estágios da doença de Alzheimer. Revista de Psiquiatria Clínica, Rio de Janeiro, vol. 39, n. 5, p. 161, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n3-050

Refbacks

  • There are currently no refbacks.