Tendência em séries hidrológicas e de mudanças no uso e cobertura da terra da bacia hidrográfica do rio Guanhães, Minas Gerais / Trend in hydrological series and changes in land use and land cover in the Guanhães, Minas Gerais river basin

Fernanda Laurinda Valadares Ferreira, Lineu Neiva Rodrigues, Laura Thebit de Almeida, David Bruno de Sousa Teixeira

Resumo


As mudanças ocorridas no clima e a intensificação das atividades antrópicas nas bacias hidrográficas tem alterado de maneira significativa o regime de vazões, configurando como um problema para o sistema de gestão dos recursos hídricos, uma vez que estes são operados considerando a hipótese de estacionariedade. Nesta perspectiva, o objetivo deste trabalho foi analisar a tendência dos dados de vazão e de precipitação da bacia hidrográfica do rio Guanhães, Minas Gerais e correlacionar com o uso e ocupação da terra, entre os anos de 1985 a 2014 (30 anos de dados), aplicando os testes não-paramétricos de Mann-Kendall e Pettitt, a um nível de significância de 5%. Foi possível detectar mudanças no comportamento de vazão mínima, com tendência de redução. Para as series de precipitações não foram observados mudanças em seu comportamento. A redução da vazão mínima possivelmente está associada as mudanças ocorridas do uso e ocupação da terra ao longo dos anos na área de estudo. As alterações encontradas no estudo devem ser levadas em consideração para o planejamento e manejo dos recursos hídricos que envolvam a bacia hidrográfica do rio Guanhães.


Palavras-chave


Estacionariedade, Série temporal, Testes não-paramétricos.

Texto completo:

PDF

Referências


AIRES, U. R. V. Utilização de NDVI para análise da influência da modificação da cobertura vegetal no regime de vazões. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, 97 p., 2018.

ALMEIDA, L. T.; SILVA, F. B.; CECÍLIO, R. A.; ABREU, M. C.; FRAGA, M. de S. Análise do comportamento da vazão e precipitação na influência de enchentes na bacia hidrográfica a montante da cidade de Itajubá.Revista Augustus,v. 24, n. 49, p. 124-145, 2019.

BIER, A. A.; FERRAZ, S. E. T. Comparação de Metodologias de Preenchimento de Falhas em Dados Meteorológicos para Estações no Sul do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 32, n. 2, p. 215–226,2017.

GOCIC, M.; TRAJKOVIC, S. Analysisofchanges in meteorologicalvariablesusing Mann-Kendall andSen'sslopeestimatorstatisticaltests in Serbia.Global andPlanetaryChange, v. 100, p. 172-182, 2013.

ELY, D.; DUBREUIL, V. Análise das tendências espaço-temporais das precipitações anuais para o estado do Paraná–Brasil.Revista Brasileira de Climatologia, v. 21, n. 13, 2017.

FRAGA, M. de S. et al. Análise de tendência em séries históricas de precipitação e vazão na UGRH2 Piracicaba, Minas Gerais. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, v. 11, n. 2, p. 136-144, 2020.

GUPTA, V.; JAIN, M. K. Investigation of Multi-model Spatiotemporal Mesoscale Drought Projections over India under Climate Change Scenario. Journal of Hydrology,v. 567, p. 489-509, 2018.

JIANG, C.; XIONG, L.; XU, C.; GUO, S. Bivariate frequency analysis of nonstationary low‐flow series based on the time‐varying copula.Hydrological Processesv. 29, n. 6, p.1521-1534, 2015.

JOSEPH, J. F.; FALCON, H. E.; SHARIF, H. O. Hydrologictrendsandcorrelations in south Texas River basins: 1950–2009.JournalofHydrologicEngineering, v. 18, n. 12, p. 1653-1662, 2013.

JUNQUEIRA, R.; AMORIM, J. da S.; OLIVEIRA, A. S. de. Comparação entre diferentes metodologias para preenchimento de falhas em dados pluviométricos.Sustentarev. 2, n. 1, p. 198-210, 2018.

KARMESHU, N. Trend detection in annual temperature & precipitation using the mann kendall test–a case study to assess climate change on select states in the Northeastern United States.Disssertation (Master of Environmental Studies) - Departmentof Earth & Environmental Science, Universityof Pennsylvania. 33 p., 2012.

KENDALL, M. G. Rank CorrelationMethods. 4 ed. Londres: Charles Griffin. (1975).

KIBRIA, K.et al. Streamflowtrendsand responses toclimatevariabilityandland cover change in South Dakota.Hydrology, v. 3, n. 1, p. 2, 2016.

LENG, G.; TANG, Q.; RAYBURG, S.Climate change impacts on meteorological, agricultural and hydrological droughts in China. Global and Planetary Change, v. 126, p. 23-34, 2015.

LIU, S.; HUANG, S.; HUANG, Q.; XIE, Y.; LENG, G.; LUAN, J.; SONG, X.; WEI, X.; LI, X. Identification of the non-stationarity of extreme precipitation events and correlations with large-scale ocean-atmospheric circulation patterns: A case study in the Wei River Basin, China. Journal of Hydrology, v. 548, p. 184-195, 2017.

MANN, H. B. Nonparametrictestsagainsttrend. Econometrica, v.13, n. 3, p.245-259, 1945.

MAPBIOMAS. Coleção 3.0 O que é o MapBiomas. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2018.

MARCIANO, A. G.; BARBOSA, A. A.; SILVA, A. P. M. Cálculo de precipitação média utilizando método de Thiessen e as linhas de cumeada. Revista Ambiente e Água, v. 13, n. 1, p.1, 2018.

MELLO, C. R; SILVA, A. M. Hidrologia: princípios e aplicações em sistemas agrícolas. Lavras, UFLA, 455 p., 2013.

MILLY, P.C.D.; BETANCOURT, J.; FALKENMARK, M.; HIRSCH, R.M.; KUNDZEWICZ, Z.W.; LETTENMAIER, D.P. Stationarity Is Dead: Whither Water Management?.Science,v. 319, n. 5863, p. 573-574, 2008.

MUDBHATKAL, A. et al. ImpactsofClimateChangeonVaried River-Flow Regimes of Southern India. JournalofHydrologicEngineering, v. 22, n. 9, p. 0–13, 2017.

PETTITT, A. N. A Non-Parametric Approach totheChange-Point Problem. AppliedStatistics, v. 28, n. 2, p.126-135, 1979.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A languageandenvironment for statisticalcomputing. Vienna: R Foundation for StatisticalComputing, 2018.

SALVIANO, M. F.; GROPPO, J. D.; PELLEGRINO, G. Q. Análise de Tendências em Dados de Precipitação e Temperatura no Brasil.Revista Brasileira de Meteorologia, v. 31, n. 1, p. 64–73, 2016.

SILVA, F. B. Modelagem hidrológica na bacia do rio Paracatu: avaliação do modelo WEAP como ferramenta de planejamento e gestão de recursos hídricos. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) – Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, 108 p., 2019.

SOUSA H. T. de.Sis CaH 1.0 - Sistema Computacional para Análises Hidrológicas. Agência Nacional de Águas, 1ª ed. Viçosa-MG, UFV, 60 p., 2009.

VERDON-KIDD, D.C.; KIEM, A.S. Regime shifts in annual maximum rainfall across Australia–implications for intensity–frequency–duration (IFD) relationships. Hydrology and Earth System Sciences, v. 19, n. 12, p. 4735-4746, 2015.

VILANOVA, M. R. N. Trends in mean annual stream flows in Serra da Mantiqueira environmental protection área. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 57, n. 6, p. 1004-1112, 2014.

WANG, S.; ZHANG, X.; LIU, Z; WANG, D.Trend analysis of precipitation in the Jinsha river basin in China. Journal of Hydrometeorology, v. 14, n. 1, p. 290–303, 2013.

WMO, W. M. O. Analyzinglong time series of hydrological data with respectto climate variability. Geneva: WMO secretariat, 36 p., 1988.

ZHANG, Z.; CHEN, X.; XU, C-Y.; YUAN, L.; YONG, B.; YAN, S. Evaluatingthe non-stationary relationship between precipitation and streamflow in nine major basins of China during the past 50 years. Journal of Hydrology, v. 409, n. 1–2, p. 81–93, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34188/bjaerv3n2-004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.